contato@spnweb.com.br
(71) 3508-7739  |  99611-7114
Criação de Sites, Mídias Sociais, Loja Virtual, Merketing Digital
Marketing Digital, Consultoria digital, Adwords, SEO - Salvador Bahia
E-commerce, Loja virtual, Leads - Salvador Bahia
Criação de sites responsivos

Site quanto custa

Site quanto custa

 Ele é mais importante do que parece

Quanto custa um site?

Quanto custa um site? Essa é uma pergunta legítima, cuja resposta não é óbvia. Mas talvez ela deva ser precedida por outra questão: qual é a importância do endereço virtual para uma marca? Existem plataformas gratuitas para a criação de sites. Mas será que suas funcionalidades dão conta de todos os requisitos que fazem um site ser funcional e cumprir com o papel de receber seus visitantes de forma adequada?

 

Ter um site não é apenas ter uma página na Internet. É muito mais do que isso. É a sua empresa no mundo virtual. Pode parecer algo simples, mas não é. Um site – também chamado de website – é algo complexo, que requer a mesma atenção que o gestor dedica à sua empresa física.

 

Para que ter um site?

Por que sua empresa precisa de um site? Simplesmente porque, sem ele, sua empresa está invisível no mundo virtual. Não basta apenas a presença física: neste momento, clientes em potencial estão pesquisando na web por produtos e serviços que atendam às suas necessidades. E estes usuários estão pesquisando no Google. É esta ferramenta de buscas que pode ajudar o seu negócio a ser encontrado no mundo virtual.

 

Como deve ser o site de uma empresa?

O site deve ser uma extensão do seu negócio. Assim como o endereço físico, ele deve estar em uma localização privilegiada, exibir a sua marca e converter visitantes em clientes.

 

E como um site pode ajudar sua empresa e seus clientes a alcançarem seus objetivos?

Um bom site precisa ser planejado para trazer informações sobre quem é a empresa, sua história, seus produtos e/ou serviços, de forma clara e fácil de encontrar. Ele também deve conter as perguntas frequentes (e as respostas, é claro!), notícias sobre a empresa, e inclusive pode ser em formato de blog, contendo dicas, eventos e cases, por exemplo.

 

Por fim, o site precisa disponibilizar endereço completo, formulário de contato, e-mail, telefone ou WhatsApp e links para as redes sociais. Se a sua empresa pretende vender online, é preciso mais atenção ainda. Um e-commerce (loja virtual) demanda dedicação exclusiva e outros detalhes, os quais serão abordados em um próximo artigo.

Quanto custa um site?

Agora você se pergunta: como criar um bom site? A resposta mais adequada é: recorra a uma empresa ou a um profissional especializado. Um site estratégico, desenhado para cumprir com suas funções, da forma mais assertiva possível, não é algo barato. Se o desenvolvedor apresentar uma proposta surpreendentemente barata, desconfie. No fim das contas, é bom você se organizar para investir conforme a complexidade do projeto.

 

Outro detalhe importante: um site também possui custos mensais. Hospedagem e manutenção devem fazer parte da sua planilha de contas a pagar.

 

E isso é só o começo. Agora começa a ficar complexo. Um bom site deve estar preparado para abrir em desktops, laptops, tablets e celulares. Hoje, 70% do tráfego na Internet é realizado via smartphones. E o Google afasta dos primeiros resultados os sites que não se ajustam às telas destes aparelhos.

 

O negócio não para por aqui. Para definir quem vai aparecer nos resultados de pesquisa, o Google possui diversos critérios para determinar se o seu site é relevante ou não (ou seja, se ele vai ser mostrado nas primeiras ocorrências ou não).

 

Um destes fatores são as palavras-chave sobre o seu negócio. O SEO (Search Engine Optimization) significa otimização para mecanismos de buscas. Isso quer dizer que as palavras que vão fazer parte de seu negócio on-line também precisam ser planejadas, para garantir que o site obtenha a visibilidade adequada.

 

Conclusão

Agora você já sabe: seu site deve atender às necessidades dos seus clientes, enquanto ajuda você a atingir os objetivos de negócios, aumentando sua visibilidade, criando oportunidades e gerando vendas.

 

Aquela velha comparação com o negócio físico ainda é válida. Loja em rua com pouco movimento, sem comunicação visual identificando a fachada, não traz ninguém para dentro. Se internamente essa loja for escura e desarrumada, os que entraram sairão em pouco tempo (pior ainda, sem terem comprado nada). E a possibilidade de voltarem é quase zero.

 

Fonte: https://k2ponto.com.br


Parceiros