contato@spnweb.com.br
(71) 3508-7739  |  99611-7114
Criação de Sites, Mídias Sociais, Loja Virtual, Merketing Digital
Marketing Digital, Consultoria digital, Adwords, SEO - Salvador Bahia
E-commerce, Loja virtual, Leads - Salvador Bahia
Criação de sites responsivos

Marieta Severo recebe convite para interpretar Dilma Rousseff

 

Assessoria da atriz diz que convite foi feito neste final de semana.
Filme será inspirado em livro e contará a vida da presidente da República.

 

A atriz Marieta Severo recebeu convite neste final de semana para interpretar a presidente Dilma Rousseff no cinema.

Segundo a sua assessoria de imprensa, a atriz achou o convite simpático, mas ainda não leu roteiro do filme que será baseado no livro “A primeira presidenta”, do jornalista Helder Caldeira.

 

“Marieta agradeceu o convite, mas ainda vai avaliar agenda, data do filme, período das gravações”, disse a assessoria ao G1.

A reportagem tenta contato com o produtor do filme, Antonio de Assis .

Atualmente, Marieta Severo está no ar como a Nenê de a "A grande família", da TV Globo.

 

A dona da editora Faces, Bia Willcox, disse à reportagem que o lançamento oficial do livro “A primeira presidenta" será no dia 1º de agosto, na Casa do Saber, no Rio de Janeiro.

 

Segundo Willcox, o produtor Antonio de Assis procurou o autor do livro para tratar sobre o filme há duas semanas. "Eles marcaram uma reunião e tudo começou. Aí, o Antonio ligou para o Helder antes do feriado e disse que a Marieta topou fazer o filme", disse a dona da editora.

 

O autor, que vai fazer a supervisão do roteiro do filme, disse ao G1 que o livro não trata de uma biografia da presidente, mas de um paralelo entre a trajetória política e a história recente do país. Por isso, segundo ele, não foi necessário pedir autorização de Dilma Rousseff.

 

Os dados biográficos sobre a presidente para o filme serão levantados por Assis, segundo Caldeira.

“O produtor estima que serão quatro Dilmas no filme. A principal será a Marieta e aí terão outras fases, como infância, adolescência e ditadura”, contou o autor do livro.

Fonte: g1.globo.com/politica


Parceiros